Resenha: A maldição do lobisomem

Título: A maldição do lobisomem
Autor: Shannon Delany
Páginas: 335
Editora: Universo dos livros
Classificação:  
Sinopse: Quando Jess Gillmansen é chamada para comparecer à sala da direção, ela pode somente imaginar ser por duas razões: Eles finalmente descobriram quem escreveu o editorial criticando os valentões da escola, ou mais uma reunião para falar sobre a recente morte de sua mãe. Porém inesperadamente ela descobre que a direção da escola quer que ela apenas sirva de guia para o novo aluno – mas ele chega com seus próprios problemas, que inclui uma escolta policial. O mais novo membro da escola Junction High, Pietr Rusakova possuiu segredos para esconder – segredos que acabam levando grandes problemas para a pequena cidade de Junction – incluindo mudanças tão dramáticas que certamente acabaram com sua vida mais cedo. 

A maldição do lobisomem é o primeiro livro da série 13 to life, que até então não foram publicados todos os livros no Brasil, quando eu comprei não imaginei que gostaria, porém me surpreendi bastante.

A protagonista Jéssica não é nerd, mas tira notas boas,  têm duas amigas, Sarah (como se tornaram amigas não é nada comum) e Amy (que é aquela grande amiga). Tem aquele clichê, pois ela tem uma paixonite por um garoto popular da escola Derek, vive com o pai e a irmã, não mora com a  mãe pois a mesma faleceu.

A vida dela segue tranquila até chegar um novo aluno na escola, e ela é chamada para mostrar a escola a ele, Pietr não é nada simpático e bastante misterioso e muito charmoso, logo se sente atraído por Jess mas ela não pode ter nada com ele pois sua amiga Sarah está interessada nele. Com a convivência entre os dois Jess percebe que sente algo a mais por Pietr.

O livro é isso? um romance adolescente? Não rs. Tem outro lado, a parte sobrenatural, nesse livro obviamente tem lobisomens, se esse não fosse o título revelando a estória eu não saberia pois é muitos mistérios, que alguns ainda não conseguimos desvendar, acredito que no segundo livro sim. 

O livro é demais, o que achei bem legal é que o Pietr por ser russo muitas vezes falava coisas de sua linguagem e no livro explicava a tradução dessas palavras, com o passar da leitura fui decorando e logo que isso era citado já sabia o significado.



Nenhum comentário :

Postar um comentário